História da China: a Dinastia Ming (1368-1644)

Por Roberto Lúcio Pereira, professor.


Dentro do contexto histórico e geopolítico chinês, podemos destacar a dinastia Ming, a mais importante dentre todas que dominaram a China. Seu período foi de grande esplendor, estima-se que nessa época havia cerca de 200 milhões de habitantes, um dos pilares de sustentação de seu governo foram grandes investimentos na agricultura, abertura de alguns canais artificiais, nos principais rios da China, como Huang-Ho(rio amarelo),Yang- Tse (rio azul)e o rio Sinkiang (rio das pérolas).Isso foi importante para o aumento da produção agrícola, com destaque para o arroz (rizicultura ou orizicultura), uma das culturas mais antigas do mundo, fundamental para regiões populosas, porém é importante ressaltar que na dinastia Ming, esses investimentos na agricultura cresceram muito.



Mapa de província chinesa, período da Dinastia Ming, fonte: Biblioteca Digital Mundial


Uma das razões desse investimento na agricultura, estaria ligada à geopolítica externa da China, que buscava se proteger da influência imperialista de potências externas, principalmente por que nesse período os estados nacionais europeus estavam em franco processo de formação, maior destaque para Portugal (dinastia de Avis- 1385-1580). No período Ming, as forças armadas como exército e marinha chegaram a reunir 1 milhão de homens, o que fez com que o comércio chinês crescesse bastante, inclusive nas regiões do sudeste asiático. Assim a China afastava a influência imperialista , porém alguns estudos mais recentes nos revelam que uma grande queda de temperatura, da qual os chineses chamam de pequena era do gelo, teria provocado queda na produtividade agrícola ,o que acabou gerando revoltas em boa parte da população, fazendo com que a dinastia Ming entrasse em decadência.