O recado continua o mesmo: "Fique em casa! Fora, só Bolsonaro"

Por Nicolau Neto, professor



A frase que intitula esse texto é a que precisa ser seguida pela população brasileira, e é, de igual modo, o que o Congresso Nacional tem que adotar se quiser, de fato, combater a pandemia do novo coronavirus (a Covid-19), que matou mais de 85.000 pessoas e tem mais de 2.343.366 mil infectados.


A população tem que ficar em casa e o Congresso Nacional, a começar pela Câmara, tem que pautar imediatamente o impeachment de Bolsonaro (sem partido) - aquele que vem sendo o maior problema para combater a pandemia ao agir como um genocida.

Só no Ceará há 161.424 casos confirmados e 7.474 mortes por Covid-19. Conforme dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) deste sábado, 25. Os dados preocupam demais, mesmo o Ceará estando há alguns dias entre aquelas unidades da federação com queda em número de infectados/as e de mortes.


É um cenário que atesta uma crise sanitária, da saúde pública, mas também de políticas públicas. Não há dúvidas de que o presidente não tem condições de continuar presidindo o país, não só por ausência de projetos e ações de enfrentamento a covid-19, mas também, e principalmente, por ir contra diariamente às medidas adotadas por profissionais da saúde. Aliás, sempre fiz questão de afirmar isso mesmo antes dele ser eleito.


Agora, a tarefa urgente é tirar Bolsoanro pelas vias legais da presidência. Cumprir essa tarefa é salvar vidas.


Na mesa da presidência da Câmara Federal já são mais de 40 pedidos de impeachment contra o presidente Bolsonaro. Rodrigo Maia (Dem), que preside a casa, está pedindo calma e que não é o momento para tratar da questão.


O recado, portanto, ainda é o mesmo. Fique em casa. Use a máscara de maneira correta quando precisar sair de casa, mantenha distanciamento social e se higienize bem.

Precisamos reforçar o grito de Fora Bolsonaro e aumentar a pressão ao Maia para que ele paute os pedidos de impeachment.

Brasil, América Latina.