O uso de prêmios internacionais para atacar países como Cuba

Notícias


A agência de Inteligência dos EUA (CIA) financia a derrubada de governos considerados inimigos daquele país, por vários meios. Seja enviando recursos diretos para grupos pró-EUA - que promovem as chamadas "revoluções coloridas", auxiliando a chegada ao poder de partidos que defendam os interesses do governo e das empresas dos Estados Unidos da América; seja promovendo guerras culturais, com a cooptação de intelectuais, com a criação de "prêmios" em dinheiro para financiar livros, filmes, vídeos e demais mídias e materiais.





Cuba é um dos países que mais sofre esse tipo de ataque.


Segundo o site Prensa Latina:

"A publicação Los Premios, fórmula de pagamento à contrarrevolução, ilustrou que os prêmios, muitos deles de milhares de dólares ou euros, foram para as mãos de pessoas como Yoani Sánchez, que se tornou blogueira após ser recrutada na Espanha em 2004 pelo agente da CIA Carlos Alberto Montaner.

Para se posicionar internacionalmente, apenas um ano após o lançamento de seu blog, a revista americana TIME a selecionou em 2008 entre as 100 pessoas mais influentes do mundo, fato que se repetiu em 2021 com o contra-revolucionário Luis Manuel Otero Alcántara.

Além disso, a revista People escolheu Sánchez como uma das 25 pessoas mais destacadas da América Latina, “ações que serviram de base para o início de uma cascata vertiginosa de prêmios, algo sem paralelo na história dos intelectuais latino-americanos”, disse a fonte.

“Assim nasceu a ‘estrela’ do momento, fato que foi apoiado por várias agências de notícias e jornais, o que evidenciou o seu serviço à CIA, no âmbito da Operação Sinsonte” (um programa que tentava manipular os meios de comunicação para para fins de propaganda), especifica a publicação.

Segundo a reportagem, Yoani Sánchez é a cubana que mais prêmios recebeu sem ter trabalho intelectual, somente graças a suas ações subversivas".


Além desse prêmio, existem vários outros. A Oxi Day Foundation tem o "Prêmio Coragem". E o ataque não parte apenas dos EUA. O governo espanhol também utiliza desse expediente no ataque à Cuba. O "Prêmio Velázquez de Artes Plásticas" destina 100 mil euros para os ganhadores. Coincidentemente, os premiados são contra-revolucionários que defendem a restauração do capitalismo na ilha caribenha.


A luta de classes manifesta-se não apenas entre o Capital e o Trabalho, mas também através das operações imperialistas e colonizadoras de certos países.


Com informações de Prensa Latina.